3 de set de 2010

Vida e Morte.

(Foto: Alê)

Viver um Canto Verde

Mais do que qualquer coisa, um jardim educa o olhar.É o saber ver e não simplesmente enxergar.
Planejar é preciso, para realizar o que se quer. Antes de tudo, ter um projeto, um projeto de vida em qualidade, mas é preciso intervir, deixar os desejos aflorarem para encontrar a essência.
Vale também recorrer à arte, aprimorada pela cultura e pelo bom gosto.É saber definir o seu estilo e não o do vizinho. Agora, experimente viver o seu Canto Verde... Poucas coisas ensinam mais do que um jardim.
É a troca em harmonia, é o dar e receber, é o cultivar a paciência e o respeito... É afofar a alma.
É compreender a humildade dos tapetes que nos mostram a grandeza de suas forças ao se unirem e entrelaçarem ao serem pisoteadas. É entender as forrações que indicam caminhos às vezes planos, às vezes íngremes, estreitos ou largos, lisos ou ásperos, cheios de voltas ou feitos por atalhos... É fazer reverências aos arbustos que criam a harmonia e a mágica dos cantos preferidos... É o encanto das flores que são capazes de nos fazerem pensar, como o simples é belo. É a nobreza das plantas de porte, que mesmo em suas realezas não vivem só... Muito pelo contrário, sombreiam as pequeninas.
Enquanto se faz um jardim, se refaz a alma. Quem se deixa ser enfeitiçado por ele, descobre a essência da vida. Por isso, viver um jardim seja algo tão apaixonante.
Exerce-se todo o poder de vida e de morte, de aridez e abundância, de poda e crescimento.
Assim é a vida, assim são os amores e assim são os jardins que escolhemos para viver.
Alessandra Casarim - 2005