6 de out de 2012

Cúmplices do Sistema


Algum tempo atrás fui vítima de uma tentativa de assalto ainda na Quintino Bocaiuva, no final de uma tarde  normal em Sete Lagoas...  Ontem, em Belo Horizonte, fui novamente a bola da vez.  Cenário perfeito! Sinal fechado. Vítima perfeita!!! Desatenta e com uma corrente no pescoço. Resultado: Além dos arranhões, do pesadelo horrível (de que tudo poderia ter sido pior) e da insônia do resto desta madrugada...  Fica a triste sensação de impotência e do descrédito, pelas políticas públicas... Hora de refletir!!!  A Constituição da República dispõe expressamente que a segurança pública é, antes de tudo, um dever do Estado... Porém, providencialmente amanhã, elegeremos nossos governantes municipais, e como há um elo em tudo...  Precisaremos levar em consideração, a desigualdade social e a falta de investimento em educação nas nossas cidades.  Passou da hora de revermos conceitos...  Será que não temos mais o direito à segurança pública, ao imperativo básico do direito constitucional de ir e vir, sem sermos privados de um bem??? Quem falhou???
Dados do CONSEP, o 1º BPM, que cobre a área central de Belo Horizonte e adjacências, está com cerca de 35% da frota de viaturas parada por falta de recursos financeiros.  Já o Batalhão ROTAM, que responde pelo combate à criminalidade pesada, está com 50% da frota de viaturas paradas em virtude da falta de peças para seus veículos. O 13º BPM, cuja responsabilidade se estende pela região norte de BH, também está com 30% de sua frota de viaturas paradas por falta de verba para reparos e consertos.
“Peraí"!!! E as altas taxas para a segurança pública que pagamos???  Mais uma vez... Complacentes. Pior, cúmplices, por nos calarmos!!!
Fica a mensagem...  A quem interessa, o fracasso do sistema ???  Quem se alimenta do caos deste mesmo sistema e da alienação social e intelectual do povo???
Na ausência do poder público, os criminosos assumem o controle da vida e neste mundo invertido, os prisioneiros somos nós.