23 de mar de 2013

Olhares...

Tenho observado olhares cada vez mais vazios, desesperançosos, tristes e o pior, sem luz. Olhares perdidos sem idade, sem raça e sem hora marcada pra ir embora... Olhares gerando zumbis pela vida ou pior, olhares retirando vidas. O que anda acontecendo com a janela da alma? Por que o blecaute ao invés da luz??? Confesso que não sei o que seja a depressão, ou talvez saiba... Tem coisas, que a gente nunca sabe ou prefere não saber. Nesse momento confesso, estou atravessando a síndrome do pânico, desde os últimos dois assaltos dos quais fui vítima.  Não é nada bom andar pela rua, e ter a horrível sensação que uma ”criatura” vai pular no seu pescoço, a qualquer momento.. Não consigo mais entrar em bancos, lojas cheias e muito menos trafegar com os vidros do carro abertos. Quando saio da faculdade, sempre peço a um aluno pra acompanhar-me até o estacionamento(tenho dado trabalho)... Para chegar em casa, ligo antes para o vigia da rua (por várias e várias vezes, dei voltas no quarteirão pra aguardá-lo). Essa sensação é péssima e o pior, do jeito que a coisa anda será difícil retomar a autoconfiança... Já andei por bairros afastados, becos, ruelas estreitas e escuras, simplesmente para conhecer pessoas... Não tenho mais coragem. Cara, eu não tenho mais coragem!!! Chega a ser cruel, o que sinto. Quero fazer, me organizo pra isso, mas na hora “H” dou uma desculpa e não vou. Pelas ruas de bike sozinha, nem pensar. Coração foi a boca na última aventura urbana. Imaginei que pudesse aquela turminha, que estava caminhando com um rottweiler sem focinheira abordar-me naquele momento (dei meia volta e retornei pela contramão na Av. Sérvulo Soalheiro).Temo que meu olhar esteja perdendo o brilho... Temo que esteja perdendo a fé nas pessoas... Temo que muitas pessoas estejam passando por isso e não percebam. O isolamento pode ser o primeiro passo para a depressão, reconhece-lo faz toda a diferença. Mas não desisto... Não!! Bora lá pessoas... um passo de cada vez! O mais importante é não nos deixarmos sermos coadjuvantes na vida.... Na nossa vida somos os atores principais, escolhemos quem vai fazer parte do nosso espetáculo. Na maioria das vezes tudo que dizemos ou escrevemos é para que o nosso coração possa ouvir. É isso, ao brilho do olhar.