2 de nov de 2013

Esfarrapada desculpa...

Vá!! Coloque aquela sua saia florida... Aquela que tem alguns pássaros voando sobre as flores... Sim! Aquela mesmo. Retire-a do armário e vá ver o sol... Ela combina com aquela regata branca e a sandália nude. Não tem?? Sem problema! Poderá ser aquela colorida... “Peraí!!!” Põe também o seu sorriso de outubro e leve o amor no coração, se estiver difícil leve-o no bolso mesmo, poderá precisar dele... Prontinho!! 
Agora, vá pela rua... Sinta o vento batendo no seu rosto; abrace o sol desta manhã; cumprimente aquela velha árvore que pinta o tapete por onde passa... Jogue um beijo pro seu bicho... Sinta o coração batendo pertinho... Escute seu coração! 
Veja longe... bem longe!! Percebe?? Mais um dia nasce... “Veja” ele!! Sinta Deus... Perfeito!! Sinta o cheiro, o sabor, a cor e a música... Percebe o que aconteceu?? Você encontrou a felicidade. Siiim!!!  Ela  escondia-se nos detalhes... Está nos olhos de quem percebe a importância dos sentidos espalhados pelos segundos da vida... Agora não resta-me nada mais a não ser desejar, não um dia mas, uma vida inteira de detalhes que nos façam acreditar que: Desenterrar aquela nossa saia florida, aquela que tem alguns pássaros voando sobre as flores... Sim, aquela mesmo, era apenas uma esfarrapada desculpa pra sermos felizes pela vida... 
Bora lá!!! FELIZ!!!

28 de ago de 2013

Som do coração...

Hoje vou assentar-me no chão,
Prestar atenção ao som do meu coração,
E caminhar segundo as suas notas...
Hoje não vou atropelar a melodia,
Vou dançar conforme a música...
Hoje vou encharcar meus cabelos
Com a água da chuva...
Vou chorar na areia quente...
Vou querer-me cheio de amor por ti
E claro, mais ainda por mim.
Quero minh’alma tranquila...
Quero ouvir os meus passos,
O canto dos pássaros,
O barulho das cachoeiras,
O som do vento.
Hoje quero sonhar um sonho longo...
Quero subir a montanha, e voar com o pássaro negro.
Quero tocar a lua, e pegar as estrelas.
Hoje quero dizer que, eu me entendo,
Quero dizer  te entendo.
Que não precisamos entender mais nada...
Para que entender???
Precisamos somente viver... Um dia de cada vez.

Caminhos...

Um dia você acorda e percebe que envelheceu mas, que o brilho do seu olhar, ainda existe. Que seus filhos seguiram por caminhos diferentes. Percebe que as flores das trilhas que eles seguem serão sempre as mesmas...Você soube desenhá-las. Que o som do seu coração bate lento, apesar do amor arder em seu peito. Percebe que quer rede para seu corpo cansado mas, quer também um bom livro pra sonhar... Você sonha. Percebe que antigos sonhos retornam e que  há tempo suficiente para realizá-los... Você acorda e lamenta o que não fez e o que fez além da conta... Percebe que escreveu uma história. Que fechou não um mas, vários ciclos.  Um dia acorda e percebe que quis crer,  esforçou-se para agradar gregos e troianos, disse “sim” quando queria dizer não,  deixou de falar tantas vezes... e sorri, sabendo que isso não vai mais mudar nada. Acorda e percebe que deixou em um canto da vida sua música preferida, seus livros de cabeceira, seus segredos na caixinha e seus sonhos... Ahh! (...) Seus sonhos! Um dia você acorda, e percebe que sentou-se à mesa com gente que nunca te enxergou, que ofereceu o seu melhor sorriso, o seu colo, os seus ouvidos mas, isso não te entristece, descobre que faria tudo de novo. Lembra-se que não retrucou aos absurdos e as frases mal ditas... Deitou na cama tentando entendê-las e percebe que, perdoou não uma mas várias vezes.  Lembra que deu o beijo na pessoa errada, que deixou de abraçar sua vida por vestir a camisa daquilo que acreditava e que não deu certo e não se arrepende, no fundo você sempre soube que era a pessoa certa e que a camisa ficou melhor do lado avesso, mais ainda, que sua vida ainda aguarda pelo seu abraço. Um dia você acorda cansado de dizer que está cansado, e decide que vai correr o risco de recapitular suas teologias e filosofias. Percebe que você vive e que a vida existe lá fora... Um dia você acorda e perdoa... e crê... e inspira... e sonha.  Percebe que você é uma eterna criança. Sim, um dia você acorda e percebe que sempre foi, é e será para sempre o mesmo. Exatamente, o mesmo! Tim, tim aos erros e acertos... No fundo sabemos que o que vale nesta vida, é ser feliz!

23 de mar de 2013

Olhares...

Tenho observado olhares cada vez mais vazios, desesperançosos, tristes e o pior, sem luz. Olhares perdidos sem idade, sem raça e sem hora marcada pra ir embora... Olhares gerando zumbis pela vida ou pior, olhares retirando vidas. O que anda acontecendo com a janela da alma? Por que o blecaute ao invés da luz??? Confesso que não sei o que seja a depressão, ou talvez saiba... Tem coisas, que a gente nunca sabe ou prefere não saber. Nesse momento confesso, estou atravessando a síndrome do pânico, desde os últimos dois assaltos dos quais fui vítima.  Não é nada bom andar pela rua, e ter a horrível sensação que uma ”criatura” vai pular no seu pescoço, a qualquer momento.. Não consigo mais entrar em bancos, lojas cheias e muito menos trafegar com os vidros do carro abertos. Quando saio da faculdade, sempre peço a um aluno pra acompanhar-me até o estacionamento(tenho dado trabalho)... Para chegar em casa, ligo antes para o vigia da rua (por várias e várias vezes, dei voltas no quarteirão pra aguardá-lo). Essa sensação é péssima e o pior, do jeito que a coisa anda será difícil retomar a autoconfiança... Já andei por bairros afastados, becos, ruelas estreitas e escuras, simplesmente para conhecer pessoas... Não tenho mais coragem. Cara, eu não tenho mais coragem!!! Chega a ser cruel, o que sinto. Quero fazer, me organizo pra isso, mas na hora “H” dou uma desculpa e não vou. Pelas ruas de bike sozinha, nem pensar. Coração foi a boca na última aventura urbana. Imaginei que pudesse aquela turminha, que estava caminhando com um rottweiler sem focinheira abordar-me naquele momento (dei meia volta e retornei pela contramão na Av. Sérvulo Soalheiro).Temo que meu olhar esteja perdendo o brilho... Temo que esteja perdendo a fé nas pessoas... Temo que muitas pessoas estejam passando por isso e não percebam. O isolamento pode ser o primeiro passo para a depressão, reconhece-lo faz toda a diferença. Mas não desisto... Não!! Bora lá pessoas... um passo de cada vez! O mais importante é não nos deixarmos sermos coadjuvantes na vida.... Na nossa vida somos os atores principais, escolhemos quem vai fazer parte do nosso espetáculo. Na maioria das vezes tudo que dizemos ou escrevemos é para que o nosso coração possa ouvir. É isso, ao brilho do olhar. 

8 de jan de 2013

Encantamento

A vida tem lá a sua graça... Tem sim.
A cada dia, a cada degrau somos testados... Provas e mais provas.
Andei pensando de alguns dias pra cá nas mal traçadas linhas que escrevemos no livro da nossa história. Por que ousamos nos cobrarmos??? Caspita, estamos vivendo esta vida pela primeira vez!!! Tudo, na sua primeira vez, corre o risco de não dar certo. Certo??? Errado!!! Não pode dar errado. Somos cruéis com a nossa existência... Queremos acertar sempre, e já começamos errando.
Bom... Algumas pequenas coisas deram certo. Pela última trilha que ousei passar, pude encontrar pessoas que falavam a mesma língua.
Pessoas com o mesmo ideal. Resgate do ambiente, cultura, educação e da essência perdida... Com estas pessoas ao lado, nada poderia dar errado... Ficou mais fácil!!! Fato, nas veias de Sete Lagoas, corre sangue do cacique Seattle. Cura do corpo... Cura da alma... Cura da esperança perdida... 

Como não se apaixonar por este chão??? Como não se deixar levar pelos amigos que fizemos e faremos??? O fascínio pelo novo protegida pelos anjos que encontramos pelo caminho, enche-nos de esperança... Pode dar certo, SIM!!!

Sete Lagoas tem alma caipira, histórias nas entranhas dos seus casarões, cheiro de arte, dança de roda, cores e texturas, maravilhas nas curvas das suas lagoas e tem em especial o que mais me fascina, Santa Helena nos abraçando dia e noite, em silêncio, e ela está lá, destemida junto aos seresteiros, a lua e as estrelas!!! 

Concluo (se é que posso concluir alguma coisa): Neste pedaço de chão, existem pessoas que veem o mesmo cenário bucólico, verdadeiro e real.


Perdoe-me Ubá, “cidade carinho”, da qual tenho muito orgulho de dizer que sou filha mas esta aqui, também, é a minha cidade! 
Sete Lagoas durma tranquila, neste chão tem pessoas encantadas por ti. Valeu demais pessoal!!! 

Alê Casarim   www.daltonandrade.com