24 de jul de 2011

Criatividade é tudo!!!

Quando eu penso que já vi tudo relacionado a suculentas que por sinal, adoro... vem alguém e me mostra que ainda há como inventar. A designer americana Alissa Rose faz pequenos furos em rolhas de vinho e planta os miniexemplares com terra. A história deu tão certo que ela os comercializa no site de artesanato Etsy. Como a suculenta precisa de pouquíssima terra, pode viver tranquilamente nestas condições. Alguém se candidata a fazer igual? Adorei!!!

23 de jul de 2011

PAI

Cheiro de poeira
Fruto do mato
Calejado pelas montanhas de Minas
Resistência de um menino 
Filme tantas vezes recontado
Música de Nelson Gonçalves com letra da própria vida

Frango caipira 
Broa queimada
Noite de lua cheia
Amigos da terra
Cabelos de Nero
Pão? Com tudo
Doce? Misturado com outro
Dançarino
Seresteiro
Acorda para ouvir o canto dos passarinhos
Anda todos os dias de bicicleta
Torna toda viagem mais longa para viver a natureza
Desenha casinha com montanha, sol e pássaros
Entende a linguagem dos animais
 Dos carros
Toma banho de cachoeira como ninguém
Empina pipa
Constrói carrinho de rolimã
Carrocinha de carneiro
Faz trave, é goleiro, atacante
Mima netos
Pai
Você é a história que eu quero ser
Te Amo!


14 de jul de 2011

De quantas rodas precisamos???

Com a explosão da venda de carros... o tema, Mobilidade Sustentável ganha relevância...
A disputa por espaços nas vias de circulação, esta cada vez mais acirrada...
Penso seriamente em  trocar minhas  quatro rodas, por duas...
Sei que o corre corre desta vida agitada, não permite que possamos fazer o nosso tempo... Começarei por um dia na semana...META! Veremos quem vence... Tempo x Eu
A magrela, foi minha companheira na adolescência... Já subi metade da Serra de Divinésia com a minha pantera cor de rosa (coisa de menina)... até ganhar minha primeira moto, uma CB400 preta... Tinha que parar próxima ao meio fio para poder descer, de tão pesada que a danada era... e depois o meu primeiro fusca em 86...O tempo passa...
Como quero retroagir no tempo... penso em retornar a magrela... 
Segundo o Código de Transito Brasileiro (CTB), os equipamentos obrigatórios são a campainha, sinalização noturna, dianteira e traseira, na lateral e nos pedais, além do espelho retrovisor esquerdo e capacete ciclístico... Aff!!! Será que não ficarei parecendo uma árvore de natal em pleno agosto... Mas vamos lá, "mãos a obra"... Ou seria, "pés a obra"? Bom, de minha parte, vou tentar... 
E atenção pessoal, segundo o CTB, em seu Art. 201, o motorista das quatro ou mais rodas deve guardar distância lateral de um metro e cinquenta ao passar ou ultrapassar uma magrela... Infração média, sujeita a multa hein??? Ah!!! Só mais uma coisinha... no meu caso, como tem praticamente uns 20 anos que não pratico... sugiro acrescentar mais meio metro, ok?
Abraços pessoal!!! Alê 

9 de jul de 2011

"Junta e Misturada"...

As pedras colocadas em nossas vidas, têm sempre um "porquê".
Resolvi dedicar aos meus estudos no início do ano passado, (quando recebi uma passagem de volta)...para preencher um espaço que poderia existir...durante o Check-In ...
Não permiti nem a mim nem aos que estavam próximos, a sentir qualquer tipo de sentimento que não fosse: "Você é doida!" (achar que eu era maluca...) matriculei em duas pós e em um aperfeiçoamento...
Esse tempo ocioso não existiu... Não houve lacuna... se misturou com a minha vida que continua como dizem meus queridos alunos..."junta e misturada"...
Ontem me deparei com um novo prédio...Novinho...
Novinha também estou eu..rsrsrsrs....
Mistura de alívio e de quero mais... Apesar de ter ainda, mais uma mono e uma intervenção para fazer...
A vida tem que ser assim...Cheia...Estupidamente cheia de coisas para fazer.
08/07/2011Foto de Cel....

5 de jul de 2011

Escola Municipal Professora América Cheles Fernandino

Tudo começou em 1952...
Quando o saudoso Sr. Manoel José Pires e Dona Cecília de Souza Pires, resolveram doar parte da Fazenda para a construção da Escola Municipal América Cheles, nome dado em homenagem a professora falecida na época, América Cheles  Fernandino ...
Foi feita na época uma pequena estrutura aonde crianças começaram a ler suas primeiras cartilhas...   Com o tempo, perceberam que o Ribeirão que existia em frente transbordava em determinadas épocas do ano e dificultava a travessia dos alunos...Pediram então ao então  prefeito da época, Dr. Afrânio Avelar, a mudança do prédio  para depois do Ribeirão... O que foi concedido prontamente...De lá pra cá, está a 35 anos no mesmo local.
Nos últimos dois anos, com o descaso e a falta de incentivo, a escola vem passando pelo seu pior  momento em quase 60 anos de existência...Evasão de alunos e desinteresse público.
No final do ano de 2010, houve até uma reunião na escola  informando do seu fechamento,  o atual prefeito Maroca, foi sensibilizado pela história de vida em prol da escola, e permitiu que a  funcionasse mais este ano (2011)...Agora, no meio do ano...  Ronda novamente  o fantasma do desinteresse...aliás, o fantasma do interesse em fechá-la.
Hoje, posso dizer: Tenho consciência que este é um problema mais de caráter político do que de caráter pedagógico... A socialização de uma criança é um processo vasto e complexo, depende, sobretudo, da qualidade das interações com o meio físico, social e simbólico que a rodeia, depende da vivência que estabelece com outras crianças, com os adultos e  com seu espaço de referência .
Um encontro que lhes permita construir-se como pessoa.. Aonde se constrói o caráter, que permita às crianças ser integradas  numa comunidade, participando assim e também , na construção dessa comunidade.... Amar seu chão...Conhecer sua terra... Saber qual a melhor trilha... Até esta madura o suficiente, para alçar novos vôos...Baseado em que, retiram-se as crianças do seu local de origem em tão tenra idade???
Porque é que se visa simplificar, através de frases feitas, um processo que está longe de ser um processo linear? “Porque tem poucos alunos vamos fechar”??? Não pode ser tão simples...
Só a aceitação de que a solução de retirar as crianças das suas aldeias é sempre a melhor solução é que poderá explicar o silêncio ensurdecedor que se faz sentir sobre esta problemática.
Lavar as mãos!!! Simples assim...
Não! Tem que haver uma saída...

4 de jul de 2011

FALTA INTERESSE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Estamos com uma escola municipal rural, sem telefone fixo ou público ...em frente, tem um posto de saúde sem qualquer tipo de aparelho telefônico também... Enviei uma carta a 3 vereadores e a um deputado, recebi resposta de 2, mas nada ainda foi feito...O pior,  conversando com outro vereador sobre o assunto, ele teve a coragem de me dizer, que esta escola está para ser fechada... ACREDITAM NISSO????
Não vou desistir...tem 36 crianças que dependem deste espaço, exatamente aonde está inserido... 
FECHAR??? Pode ser, MAS TRABALHO EU VOU DAR. 
PODEM TER CERTEZA!!!!! 
Preciso apenas do apoio de amigos e pessoas que possam abraçar esta escola comigo.
Alessandra Casarim

3 de jul de 2011

"Invisibilidade Humana" no blog do Ramon

 Seu post é muito interessante e  nos faz refletir  sobre um comportamento comum nesta criteriosa  sociedade... . Quem não se enquadra no perfil ditado por ela, acaba virando uma mera sombra social, um sujeito inexistente. Vale muito a pena ler e refletir...
“Enquanto pessoas da classe média não cumprimentam o gari por entenderem que não se trata de uma pessoa e sim de uma função, ele tenta se proteger da violência da invisibilidade não respondendo a um eventual      cumprimento. psicólogo social Fernando Braga da Costa