30 de abr de 2011

Aonde fica B. Cocais?

Foto: Alê

Trilha Urbana Estadual ou Federal??? Com certeza Rural. Aff!

Páscoa??? Seria em Itabira...  Foi em Santa Luzia.
O início da aventura...

5Km de estrada de terra e muito, muito cascalho...
Garanto, pareceu 50!
 Aff!!!Não adiantou nada! ...mais congestionamento.
 Chegamos! A cidade,  preparada para nos receber. Que bom!
Fotos: Alê
Fazer o que?

29 de abr de 2011

Código Florestal, poderá mudar na próxima semana...

Código Florestal, poderá mudar na próxima semana!!!

Técnicas de conservação da água e do solo poderão ser contempladas, assim como, áreas de matas nativas protegidas em terreno rural...
Propriedades maiores deverão ajustar a RL em 20 anos...O Código Florestal estabelece no seu primeiro artigo, desde 1965, que "as florestas e demais formas de vegetação, reconhecidas de utilidade às terras que revestem, são bens de interesse comum a todos os habitantes do País, exercendo-se os direitos de propriedade, com as limitações que a legislação estabelece". Dentre as limitações impostas para garantir o bem comum, estão as chamadas Áreas de Preservação Permanente (APP) e as Áreas de Reserva Legal (RL). As APPs devem ser protegidas integralmente e as RLs devem ser mantidas com cobertura florestal permanente, embora possam ser exploradas economicamente sob regime de manejo florestal sustentável.
As APPs incluem as áreas de encostas, de topos de morro e ao redor de cursos d"água, todas com a principal função de proteger o solo e a água. Ao longo dos rios, as APPs são hoje definidas como uma faixa de, pelo menos, 30 metros em cada margem, e esta faixa aumenta conforme aumenta a largura do rio. De fato, esta área de proteção deveria se adequar a cada região de acordo com a declividade, tipo de solo e pluviosidade, podendo ser mais larga ou mais estreita, dependendo da situação. Partindo deste argumento, o relator propôs reduzir a área mínima de APP de 30 para 15 metros. Pessoal, seria o mesmo que sugerir que a idade (idosos) em fila preferencial fosse estudada caso a caso para maiores de 60 anos (baseado em laudo médico) o que estenderia também, ao recebimento de aposentadoria.
Penso cá com meus botões, o Sr. "Zé das Couves" (como diz uma professora conhecida) aquele pequeno agricultor, não pensa em  diminuir sua mata ciliar...o verdadeiro interesse, é daquele ruralista o Dr. "Zé da Horta" .
O foco dos debates do Código Florestal poderia mudar...
Quem sabe assim: Quem tem mais, protege mais!
Mudaria todo o processo.

23 de abr de 2011

PROFESSOR: Profissão em Extinção.

..."Em quatro anos o número de formandos em cursos que preparam docentes cai 50%".
Informações divulgadas pelo Censo do Ensino Superior, realizado anualmente pelo Ministério da Educação, revelam que entre 2006 e 2010 os alunos que concluíram cursos superiores em Pedagogia e Normal Superior foram de 103 mil para 49 mil, o que comprova o desinteresse dos jovens pela carreira.
Quem nunca ouviu..."Quem experimentou a dose de ser professor nunca deixará de sê-lo". Verdade, mentira? Verdade! Se, vivemos hoje a sala de aula é pelo amor a profissão, nada além disto.
Respeito, salário e prestígio...O que é isto? Olha que nem entrei no quesito: Segurança.
Frases como:"Professores não são mal remunerados, são mal casados” ecoa na minha lembrança... ou pior, "Farei pela educação".
Parece o clássico... "É um pássaro, é um homem, é um avião? Não! É apenas mais um Candidato que usa a educação nos seus discursos patéticos como todos aqueles que já ocuparam cargos!".
Até quando ouviremos as mesmas "balelas e blá-blá-blás" e pouca ou nenhuma ação? Até quando?

17 de abr de 2011

Projeto de Lei obriga escolas adotarem temática ambiental

Escolas da rede pública de Teresina deverão incluir na grade curricular o tema Educação Ambiental. Essa é intenção do projeto de Lei que deve ser apresentado na Câmara Municipal, cujo obejtivo é despertar a consciência crítica dos alunos sobre a problemática ambiental e suas conseqüências sociais, econômicas e culturais.
A temática deverá seguir a definição expressa pelo Conselho Nacional do Meio Ambiental (Conama) e ficaria obrigatório a sua inclusão na disciplina de Ciências.
De acordo com o autor do projeto, Rodrigo Martins, o ambiente escolar é propício para levantar o debate sobre preservação e utilização sustentável dos recursos naturais.
"A escola precisa desenvolver ações que levem crianças e jovens a discutirem a atual situação do planeta. É essencial formar cidadãos que defendam a preservação do meio ambiente", explica o vereador Rodrigo Martins.
Caso seja sancionada pelo prefeito de Teresina, a Lei entrará em vigor no próximo ano letivo.

Portal da Clube.com 14/04/2011

Montanha venha a Maomé!

 Foto: Alê

16 de abr de 2011

Visita dos Africanos e Franceses a Sete Lagoas

Histórias e...
Histórias bacanas acontecem nas entrelinhas da vida. Barraginhas, unindo povos e culturas.
Parabéns, a todos!!!
  
Fotos: Cordoval e Isabela
Para saber mais, cliquem:
http://barraginhas.multiply.com/photos/album/228#photo=10

12 de abr de 2011

Praças

"A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você
Perto de mim..."
Participar de alguns blogs, me fez repensar entre outras coisas, sobre PRAÇAS.
Termos utilizados comumente como: "pracianos... bancos da praça... árvores da praça... bola de látex" entre outros, me fez relembrar: "tomar banho de sol na praça, trenzinho da praça, pombos da praça e pipoqueiro da praça". Tudo isto, lógico, me transportou para a minha infância na Praça São Januário de Ubá, cidade aonde nasci e tive o privilégio de crescer.
Aonde estarão as lembranças de nossas crianças???
Podemos hoje, retornar a nossa essência bucólica ou isto já ficou para trás.
Depende de quem ???
Sou sonhadora, confesso!
Penso, que todos ganhariam com a conservação das praças de Sete Lagoas. As pessoas, que ficariam felizes por desfrutarem de um ambiente preservado, cuidado e limpo junto a sua família (quem sabe, não voltariam os passeios nas praças aos domingos); o município, pois estaria preservando seu patrimônio com recursos da iniciativa privada (quem sabe?) e assim poderia utilizar seus recursos escassos em projetos de primeira necessidade e porque não, as empresas que estariam adotando uma área social, onde ela atua.
Quero fazer a diferença no lugar que escolhi para viver!

10 de abr de 2011

Barraginhas

Como prometido, segue ai...

Ontem fizemos visita técnica/prática com alunos do Senet.
Saímos as 7H da madrugada de um sábado ensolarado, rumo a mais uma experiência prática.
Contamos com a grata presença de Luciano Cordoval, que explicou aos alunos que as "covas" captam as enxurradas e evitam a erosão do terreno. A água retida infiltra e reabastece o lençol freático. O plantio, então, pode ser feito no entorno da barraginha, onde o solo tem umidade suficiente, o que garante a cultura e sobrevivência digna de todas as pessoas( principalmente as das regiões secas do país)
Realmente foi de grande valia... ver o sorriso daquelas pessoas fez valer qualquer estrada, calças rasgadas e o calor (sensação) de uns 40 graus... Valeu Muito Cordoval!

Cansados mas felizes...Vamos lá pessoal...Não desistam!!!

Educação Ambiental
Merece!!
o RESULTADO!!!

Cuidado!!!
Sr Maneco...Valeu!!!


Cordoval, meu amigo...
O que dizer, depois desta experiência única que você Cordoval, proporcionou a mim e aos nossos alunos?
Fazer parte deste trabalho de campo, fez com que refletíssemos sobre a importância da Educação Ambiental no nosso país.
As barraginhas trazem na sua estrutura, muito mais do que um "buraco no meio do sertão"...
Traz dignidade, esperança e fé a todas aquelas pessoas. As construções das barraginhas captam muito mais do que a água superficial das chuvas... Capta amigos, histórias e sonhos. Você não recarrega com o Projeto Barraginhas, apenas o lençol freático. Você recarrega a alma do sertanejo.
Você é um mestre!
E nós, seus discípulos.
Obrigada mais uma vez, pelo carinho e atenção dispensados aos nossos queridos alunos.
Serei eternamente grata.
Abraços,
Alessandra Casarim

               Aff!!! Deve ser a comida...rsrs... por  sinal,   saborosíssima. Obrigada Gouveia.

Polêmica - Mudanças no Código Florestal

Proposta de "Mudanças no Código Florestal "(Projeto de Lei 1876/99) do deputado Aldo Rebelo PCdoB...
Uma das principais polêmicas  é a proposta de redução das áreas de preservação permanente (APPs) nas margens de rios e riachos, que passariam dos atuais 30 metros para 7,5 metros nas propriedades destinadas à agricultura familiar.
A referida proposta anistia a todos os produtores rurais que cometeram crime ambiental até o dia 22 de julho de 2008; desobriga a manutenção de reserva legal para propriedades de até 4 módulos fiscais ou seja, 90% dos imóveis rurais do Brasil; transfere a legislação ambiental para a esfera estadual e municipal... a legislação federal, deixará de exercer o controle sobre os rios e os biomas (amazônico, cerrado, mata atlântica, caatinga, pantanal, pampa), permitindo a redução da preservação das matas ciliares e das faixas fluviais; e ameaçando as áreas de proteção permanente, como encostas acentuadas e topos dos morros.
As alterações propostas, se aprovadas em definitivo, estarão em descordo com o compromisso de redução de gás carbônico, assumido pelo governo brasileiro em Copenhague, em dezembro de 2009, e transformado na lei nº 12. 187/ 09 (Política Nacional de Mudanças Climáticas).
"A natureza geme em dores de parto".

8 de abr de 2011

Não é montagem! A foto VALE.

Vista do Campus da UNIFEI

Vista da sacada de um prédio
                                                                                                        Fotos: Alê

VALE???

Foto: Ale
Itabira MG/2011

5 de abr de 2011

Engenharia da Mobilidade

Projeto desenvolvido pelos alunos da UNIFEI  Eco-veículo

Engenharia da Mobilidade é um dos ramos da engenharia ao qual compete a construção e a manutenção de redes rodo-ferroviárias, além de portos e aeroportos, projeto de veículos, logística de transferência de produtos. Mais do que noutros campos de engenharia, a engenharia dos transportes requer uma abordagem sistêmica de muitos projetos. Outra distinção tem a ver com o fato de que enquanto os engenheiros civis e mecânicos desenham e constroem os seus objetos, entregando-os depois a operadores ou consumidores, os engenheiros de transportes continuam a estar ativamente envolvidos em operações, e na busca de eficiência e aperfeiçoamentos contínuos. Eles estão, por conseguinte, envolvidos na análise de sistemas, supervisionando os resultados econômicos, os serviços prestados e o seu impacto nos utilizadores, assim como na qualidade de vida das cidades e da sociedade.
Segundo, Vukan R. Vuchic - Professor Universidade da Pensilvânia, EUA A Engenharia da Mobilidade é um ramo da engenharia ao qual compete a construção e a manutenção de redes rodo-ferroviárias, além de portos e aeroportos, projeto de veículos e logística de transferência de produtos. Verifica-se, no Brasil, a urgência de soluções para infraestrutura na área de transportes, fazendo o curso de Engenharia da Mobilidade extremamente necessário. Os investimentos bilionários em infraestrutura (energia, transporte, saneamento e habitação) do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) dão a noção exata da grande importância do engenheiro de mobilidade para o desenvolvimento do país. Os engenheiros dessa área são os responsáveis por projetos de construção e duplicação de estradas, construção, monitoração, manutenção e renovação da infraestrutura ferroviária , projetos de sinalização viária, operações do tráfego urbano, gestão e planejamento do transporte urbano de passageiros, além de desafogação de lugares onde ocorrem engarrafamentos. Desenvolvem atividades de de planejamento, fabricação, operação e manutenção dos sistemas técnicos veiculares e de transporte. Além disso, devem desenvolver uma visão holística do que significa atuar no campo da mobilidade, para planejar e gerenciar o deslocamento de pessoas e produtos. O profissional poderá atuar tanto no setor público (Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT; Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes - DNIT, entre outros) quanto no setor privado, em administradoras de rodovias e empresas de engenharia que desenvolvem atividades nas áreas de logística e de transportes. Além das disciplinas características dos cursos de engenharia, o currículo deve abranger: Elementos de máquinas, Sistemas motrizes mecânicos e elétricos, Projeto veicular, Sistemas digitais e de comunicação, Mecânica dos solos, Hidrologia e drenagem, Análise estrutural, Geoprocessamento, Engenharia de tráfego, Custos, Planejamento urbano e regional, Sistemas de controle de tráfego, Planejamento de infraestrutura viária, Sistemas de transporte público, Operação e controle de sistemas de transportes de cargas, Engenharia de manutenção, Gestão da qualidade, Logística, Mecânica de locomotivas e de vagões, Telecomunicações.
Título: Engenheiro(a) da Mobilidade
Período: Integral
Regime: Seriado/Semestral
Integralização: 10 semestres