5 de abr de 2011

Engenharia da Mobilidade

Projeto desenvolvido pelos alunos da UNIFEI  Eco-veículo

Engenharia da Mobilidade é um dos ramos da engenharia ao qual compete a construção e a manutenção de redes rodo-ferroviárias, além de portos e aeroportos, projeto de veículos, logística de transferência de produtos. Mais do que noutros campos de engenharia, a engenharia dos transportes requer uma abordagem sistêmica de muitos projetos. Outra distinção tem a ver com o fato de que enquanto os engenheiros civis e mecânicos desenham e constroem os seus objetos, entregando-os depois a operadores ou consumidores, os engenheiros de transportes continuam a estar ativamente envolvidos em operações, e na busca de eficiência e aperfeiçoamentos contínuos. Eles estão, por conseguinte, envolvidos na análise de sistemas, supervisionando os resultados econômicos, os serviços prestados e o seu impacto nos utilizadores, assim como na qualidade de vida das cidades e da sociedade.
Segundo, Vukan R. Vuchic - Professor Universidade da Pensilvânia, EUA A Engenharia da Mobilidade é um ramo da engenharia ao qual compete a construção e a manutenção de redes rodo-ferroviárias, além de portos e aeroportos, projeto de veículos e logística de transferência de produtos. Verifica-se, no Brasil, a urgência de soluções para infraestrutura na área de transportes, fazendo o curso de Engenharia da Mobilidade extremamente necessário. Os investimentos bilionários em infraestrutura (energia, transporte, saneamento e habitação) do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) dão a noção exata da grande importância do engenheiro de mobilidade para o desenvolvimento do país. Os engenheiros dessa área são os responsáveis por projetos de construção e duplicação de estradas, construção, monitoração, manutenção e renovação da infraestrutura ferroviária , projetos de sinalização viária, operações do tráfego urbano, gestão e planejamento do transporte urbano de passageiros, além de desafogação de lugares onde ocorrem engarrafamentos. Desenvolvem atividades de de planejamento, fabricação, operação e manutenção dos sistemas técnicos veiculares e de transporte. Além disso, devem desenvolver uma visão holística do que significa atuar no campo da mobilidade, para planejar e gerenciar o deslocamento de pessoas e produtos. O profissional poderá atuar tanto no setor público (Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT; Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes - DNIT, entre outros) quanto no setor privado, em administradoras de rodovias e empresas de engenharia que desenvolvem atividades nas áreas de logística e de transportes. Além das disciplinas características dos cursos de engenharia, o currículo deve abranger: Elementos de máquinas, Sistemas motrizes mecânicos e elétricos, Projeto veicular, Sistemas digitais e de comunicação, Mecânica dos solos, Hidrologia e drenagem, Análise estrutural, Geoprocessamento, Engenharia de tráfego, Custos, Planejamento urbano e regional, Sistemas de controle de tráfego, Planejamento de infraestrutura viária, Sistemas de transporte público, Operação e controle de sistemas de transportes de cargas, Engenharia de manutenção, Gestão da qualidade, Logística, Mecânica de locomotivas e de vagões, Telecomunicações.
Título: Engenheiro(a) da Mobilidade
Período: Integral
Regime: Seriado/Semestral
Integralização: 10 semestres

4 comentários:

Carol Lacerda disse...

Parabéns pelo filhote!!!
Carol

Anônimo disse...

Parabéns a você e ao Ruy pela educação exemplar dada ao Henrique e a Ruane. Uma filha formando este ano e outro ingressando na faculdade. Que Deus abençoe vocês, Nilma

flavinsoares disse...

O curso do futuro!
Vou repensar
Flávio

Anônimo disse...

Pô Henrique. Me passou.
Ainda continuo tentando medicina.
Um dia também vou estar na Facu.
Abração

Filipe Bressan