12 de abr de 2011

Praças

"A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você
Perto de mim..."
Participar de alguns blogs, me fez repensar entre outras coisas, sobre PRAÇAS.
Termos utilizados comumente como: "pracianos... bancos da praça... árvores da praça... bola de látex" entre outros, me fez relembrar: "tomar banho de sol na praça, trenzinho da praça, pombos da praça e pipoqueiro da praça". Tudo isto, lógico, me transportou para a minha infância na Praça São Januário de Ubá, cidade aonde nasci e tive o privilégio de crescer.
Aonde estarão as lembranças de nossas crianças???
Podemos hoje, retornar a nossa essência bucólica ou isto já ficou para trás.
Depende de quem ???
Sou sonhadora, confesso!
Penso, que todos ganhariam com a conservação das praças de Sete Lagoas. As pessoas, que ficariam felizes por desfrutarem de um ambiente preservado, cuidado e limpo junto a sua família (quem sabe, não voltariam os passeios nas praças aos domingos); o município, pois estaria preservando seu patrimônio com recursos da iniciativa privada (quem sabe?) e assim poderia utilizar seus recursos escassos em projetos de primeira necessidade e porque não, as empresas que estariam adotando uma área social, onde ela atua.
Quero fazer a diferença no lugar que escolhi para viver!

12 comentários:

Anônimo disse...

Que tal adotar as praças do bairro Belo Vale.
Estão horrorosas!

Nós ajudamos a molhar se quiser marcamos uma reunião com a associação do bairro.

Confiantes, João Marcos

Anônimo disse...

Quem não tem prefeito caça com o privado. A coisa tá feia!
Bucólico, não vive neste planeta? Esta palavra é do tempo que vendiam leite na carroça.
Voltar, jamé.
Contente com o que o povo tem feito porque se depender do legislativo as praças serão to,madas por cobras e escorpiões.

Anônimo disse...

Tão feias são as nossas praças.

Matheus Henriquez disse...

Fessora.

Tá precisando de segurança, tô dentro.
Matheus

Anônimo disse...

Quem nos dera Alessandra os filhos da terra fizessem por ela o que você faz.
Não é qualquer um que sobe num palanque para fazer valer o que é do nosso direito.
Fico muito envergonhadacomigo.
Poderia me juntar a você e pelo menos tentar fazer alguma coisa, mas não posso. Preciso trabalhar e tenho filhos que precisam do mísero salário que tiro na prefeitura. São todos hipócritas mesmo, vocêws têm razÃO. Acompanho também o Ramon e o Flavinho e vejo que vocês são a esperança do povo setelagoano.
Parabéns a vocês pela luta e por colocarem a boca no trombone. Fazem muito por nos também.

Anônimo disse...

Aqui você não trabalha não?

Alessandra Casarim disse...

Ôôôh, anônimo querido(a)......
Quem me dera...!!!???
Te confesso que durmo pouco... mas, com as orações que recebo de pessoas tão queridas quanto você, consigo transformar meu dia de 24H em no mínimo 48H. Meu bem, quando se passa da curva da meia idade, não podemos deixar de fazer aquilo que nos dá prazer.
Volte sempre!

Paulinho disse...

Também quero fazer a diferença, perfil eu já tenho.
Abraços,
Paulo

Anônimo disse...

Mandou bem!

Anonoimo 2 disse...

Tô com o anonimo das 14:40
Falô e disse.

A. Claret disse...

Alessandra,

nao se esqueça da praça da prefeitura. Quando a adotemos, mudemos tambem o nome para Pink Floyd! (rs)

Um abraço

Anônimo disse...

Vamos adotar tá na moda.
Depois o todo mundo esquece.
Morador Desiludido