13 de set de 2011

Que rufem os tambores... Patrulha da Alegria, 6 anos Fazendo a Festa...PARABÉNS!!!



Há seis anos, uma turminha muito especial, de nariz vermelho, vem fazendo a diferença no Hospital Nossa Senhora das Graças. São palhaços que fazem de conta que são médicos para crianças que fazem de conta que acreditam. Um grande trabalho que envolve também toda a equipe do hospital.
 Ao chegar à porta do quarto, os palhaços não sabem o que vai acontecer: sua única certeza é o contato olho no olho e a espera da autorização da criança para que a ‘cena’ seja escrita. O aplauso para o ‘espetáculo’ pode vir por meio de sonoras gargalhadas, de um sorriso acanhado, de um aceno delicado, enfim, interações únicas que vêm de maneira sutil e às vezes arrebatadora. O que importa é que eles estão ali, em contato com a essência da criança, que embora em um ambiente adverso, quer mais do que qualquer coisa, ter direito a ser criança, rir, brincar e ser feliz!
 Como isso é possível? É uma questão de escolha. Podemos escolher abafar nossas emoções na esperança de evitar a dor, ou deixar a dor entrar e usar nosso dom do riso para torná-la suportável. Como no depoimento abaixo:
“Era como se tudo houvesse parado no momento em que recebeu a notícia de que seu filho havia sido atropelado. E agora, arriscou um olhar à sua volta, na UTI: sons da melodia intransponível dos aparelhos e expectativa por informações médicas. A imagem do filho correndo pela casa, de sua energia vibrante, ia sendo substituída pelo silêncio do seu corpo inerte.
De repente, algo inusitado a chamou para além da cama de seu filho: palhaços? Diante do estranhamento e da surpresa, permitiu-se ficar sem pensar em nada. Um antagonismo entre aquelas imagens coloridas e o ambiente. Sua racionalidade buscava uma coerência nas informações. Porém, deixou-se levar por aquela lógica absurda e depois agradeceu a si mesma por ter-se deixado levar pela magia. Por alguns momentos, captou nos olhares daqueles ‘médicos’ a ingenuidade e a energia adormecidas com seu filho e isso a cativou. Era um convite irresistível! Alguns minutos depois, deu-se conta de que estava sorrindo. E, através de música, que substituiu os ruídos do aparelho, e de bolhas de sabão, sentiu que seu filho estava sendo homenageado. Reviu a situação que estava vivendo e a tristeza se transformou em orgulho. Afinal, ele estava lutando para viver. Esforçou-se para guardar aquela sensação. Sabia que precisava dela como um combustível para continuar a enfrentar aquela experiência na qual a vida a tinha colocado. 
Seus olhos se voltaram para o filho, não sabia explicar, mas algo havia mudado. Era como se alguém, por alguns minutos, a tivesse colocado no colo. E foi então que percebeu que, naquele momento, ela adquirira a condição necessária para viver aquela situação”.       (Soluções de Palhaço – Morgana Masetti)
A Patrulha da Alegria é um grupo voluntário de palhaços que atua na pediatria do Hospital Nossa Senhora das Graças desde 2005, todas as quartas-feiras e aos sábados, em duplas ou em trios.

27/03/2011

Contato
Andréia Goldinho
3771-7314.

2 comentários:

Ramon Lamar disse...

Doutor Bulachão e Doutor Sorriso sempre me contam histórias dos feitos dos palhaços. Vida de palhaço é vida dura. Aplausos incessantes para essa turma!!!

A. Claret disse...

Medicos da alma infantil!