8 de dez de 2011

Reencontrei

Fato, nunca antes acontecido comigo...
No final da tarde de ontem, descendo a Rua Quintino Bocaiuva, fui surpreendida por um rapaz de uns 18 a 20 anos que me disse: "O que tem nesta bolsa, neném?" ...Mas eu não estava carregando só a bolsa, estava com o Notebook e uma bolsinha com a máquina fotográfica... Respondi: "Que isto, você está louco?"... E fui caminhando para o meio da rua (nunca vi a Quintino tão só)... Não satisfeito, ele caminhou ao meu lado e disse: "Não precisa dar a bolsa, mas toma isto para você." Vocês imaginam o que vi, as 17:40H, no centro da cidade.
Fiquei tão perplexa, que comecei a andar a passos largos,  mas  graças a Deus um portão eletrônico se abriu e eu entrei  atrás do carro... Um homem que eu nem conhecia ainda tentou pegar o rapaz... sem sucesso. Peguei um táxi e voltei para casa. Melhor ter terminado desta forma...
Terminado???
Não.
Nas poucas horas que consegui dormir esta noite ... Fomos fazer uma visita técnica, eu, WC, Ed e Ga... Já era  bastante tarde, quando  paramos em um  posto para abastecer e tomar um café quando entra um menino com sua irmãzinha e diz: "Passa a máquina!" Pensei dando o troco... Agora não, neném!... E  consegui imobilizar no chão, uma criança de uns 10 anos,  e pedi  aos meus amigos para chamarem  a polícia... WC, olhou para mim e disse pelo olhar ..."Aqui e neste horário?"... Ai, eu entendi... Disse a aquele menino que eu, o estava soltando, porque   tinha a certeza que ele  nunca mais iria  precisar assaltar ninguém, porque ele era capaz de estudar e se transformar em um homem de bem, que poderia ter uma bela família e que saberia educar seus filhos como ninguém. Sem entender, agora entendendo, quando acabava de dar um abraço nele, já era um senhor de uns 80 anos, que me disse: "Você me deu uma chance e eu moleque soube aproveitá-la, obrigada por me abraçar naquele dia chuvoso, obrigada por confiar em mim e na humanidade".

Bom, é isto!... Acordei com os olhos marejados e com o peito menos apreensivo... 
Não poderia deixar de registrar o meu novo encontro com a esperança.
Demônios são encontrados nesta vida, para que possamos acreditar nos anjos.
Alessandra Casarim 08/12/11

8 comentários:

Anônimo disse...

Minha fia, que que isso?
te ligo ai

Ramon Lamar disse...

Alessandra,
Deus está a seu lado. Sempre.

Ludy disse...

Mensagens nos são passadas a todo momento. Cabe a nós simples mortais decifrá-las.

Você tem luz e sabe bem disto.
Beijoca querida e venha nos ver. Estamos com saudades.
Obs.Sr. Maurício, pergunta sempre por você.
Luíza Nogueira

Alê Casarim disse...

Ô Ludy, saudadona de vocês...
Vou sim flor.
Dê um super beijo no seu "MauMau" por mim. Diga a ele que já já apareço por ai para ouvir suas histórias...
Obrigada pelo carinho

Anônimo disse...

moleque hein? safado isto sim!
Como podemos deixar nossas filhas zanzando pelas ruas de sete lagoas sozinhas?
Desculpe o desabafo Alessandra, mas não pude me conter.

Carlos Romano ( primo do Eltinho)

Anônimo disse...

Caro Carlos,
Há muito que em Sete Lagoas não podemos deixar nossos filhos, andarem por ai sozinhos.
já entrei em contato com algumas pessoas para que medidas possam ser tomadas.
O que aconteceu não pode passar desapercebido.
Fique em paz Alessandra.

Edson

Janice França disse...

Deus nos propicia, a todo momento, oportunidades de evolução. Poucos conseguem perceber isso, como você o fez. Parabéns!!!!!!!!
beijos

Alê Casarim disse...

Obrigada pelo carinho Janice.
Bjo