22 de jun de 2012

Do Divã... Flores para a alma


Não quero flores quando morrer, quero flores nos caminhos que trilhar...
Flores brancas por onde buscar paz,
amarelas para alegrar meu dia e trazer amigos, assim como o girassol...
Quero flores do campo para relembrar minhas raízes e  vermelhas para não deixar morrer a paixão que existe no meu peito...
As rosas que vierem que sejam sem espinhos, mas se  merecer os espinhos que tenha sabedoria para retirá-los um a um para que não corra o risco, de magoar ou ferir alguém.
Alê 17/06/2011

4 comentários:

Anônimo disse...

Lindo Alê!

És por demais especial para todos nós. Sem dúvida iluminada nas palavras e no olhar. Nos faz falta na Casa. Volte minha amiga! Volte para os irmãozinhos que aguardam pela sua palavra de carinho e de amor.
Fique com os mestres meu anjo e Deus te abençoe e te guarde.

Anônimo disse...

LINNNNNNNDAAAAAA
AMAMOS VOCÊ

NANDA E CACÁ

Lídia disse...

Quero conversar com você, tenho tantas coisas pra te contar amiga. Nem sei por onde começar. Não quero te atrapalhar, mas é que me ajudou tanto da outra vez que não consigo pensar em outra pessoa neste momento.
Podemos nos encontrar?

Alê Casarim disse...

Ai meu Deus!!! Devo estar esquecida mesmo.... Lídia??? Conheço algumas...Mas qual??? Aff!!! Dá uma pista... De onde nos conhecemos???
De qualquer forma...Se achar que posso ajudar...
Conte comigo flor
bjo