25 de fev de 2011

Mais três minutos

3 minutos, foi o tempo para explanação na Audiência Pública.
Era muito a ser dito em míseros minutos.
Anotei dentre muitos, alguns pontos importantes que acho ser pertinente constar neste blog.
A parte espeleológica, geotécnica e  hidrogeológica  do terreno, ficou a desejar... a  área,  é de recarga e tem um valor incalculável - a de drenar toda a água pluvial da Serra, Jardim Arizona e entorno.
Mais 3 minutos...
Não tenho a devida competência, mas se tornando parque, vejo objetivos centrais a área:
1) Contribuir para o desenvolvimento econômico e social da cidade e região...
A região de Sete lagoas é hoje um dos principais centros de desenvolvimento econômico do estado de Minas Gerais e Brasil, com pólos industriais, siderúrgicos, tecnológicos e de pesquisa que são referências para todo o país. Em contrapartida a região enfrenta sérios problemas decorrentes do crescimento desordenado, da forte expansão urbana e da concentração de renda.
2)O ordenamento da expansão urbana...
Representa um importante fator para que não ocorra a degeneração dos recursos naturais o que pode colocar em risco a oferta destes recursos, como no caso específico do abastecimento e da oferta de água.
3) Preservar os recursos hídricos e naturais...
Evita-se assim problemas futuros no abastecimento de água para fins industrias, comerciais e residenciais, o que é primordial. O município  corre o risco de enfrentar escassez no abastecimento de água, uma “situação preocupante”.FATO: Os mananciais dependem diretamente da proteção e conservação da qualidade ambiental , para manter os níveis atuais de vazão, principalmente em suas regiões de serras e nascentes.
4) Conservar os patrimônios naturais da região...
Visar a melhoria da qualidade de vida da população e a proteção dos ecossistemas regionais.
5) Controlar as pressões urbanizadoras e atividades  industriais...
Compatibilizar as atividades econômicas e sociais com a conservação dos recursos naturais, buscando o desenvolvimento sustentável.
A APA, longe de ser uma área apenas restritiva e cerceadora, pode estruturar a região de forma a compatibilizar a preservação dos atributos naturais com o desenvolvimento econômico regional;
6) Incentivar opções alternativas de geração de emprego e renda...
Nas áreas de turismo ecológico, educação ambiental e esportes radicais, criando um novo nicho de expansão econômica que , ocorrendo de forma planejada, integra a ocupação do território e a preservação e conservação do meio ambiente.
7) O desenvolvimento do setor turístico...
Atividade promissoras no contexto sócio-econômico do país e por isto o governo federal e estadual deve contribuir para os investimentos em infra-estrutura e mão de obra para o setor . O Turismo pode gerar desenvolvimento econômico e geração de renda entre os segmentos envolvidos no processo de criação e implantação da Área de Proteção.

4 comentários:

Anônimo disse...

Alessandra.

Parabéns por acreditar; parabéns por lutar. A cidade contrairá uma dívida impagável com vocês que empunharam esta bandeira. Apesar de todas as dificuldades acredito que vocês, que nós seremos vitoriosos.
Lamento não poder ajudar tanto quanto gostaria. Quem sabe ainda chegará o momento para tal.

Um abraço.

Frederico Dantas.

Anônimo disse...

O projeto do parque ta saindo
Objetivo já tem.
Agora é arregaçar a manga e colocar no point para apresentar na próxima reunião é um sobrepondo o outro.
AMOBOULEVARD x AMOSETELAGOAS
O que acham?
Rodrigo Paiva

Anônimo disse...

Alessandra,
boa noite,

Gostei, é isto aí, bola pra frente. Tem que acreditar sim, senão sete lagoas vai terminar numa lagoa só já foi dito pelo padre.

Fatinha

Alessandra Casarim disse...

Obrigada Fred. Fico ainda mais motivada, quando recebo apoio de pessoas que são tão importantes em minha vida(você e Polly são amigos para sempre rsrsrsr...). Me faz acreditar, que não será em vão, que poderemos sim fazer a diferença no contexto final. Abraços a vocês, Alê