2 de mar de 2011

Eternizando...Sete Lagoas

Foto:Alê
Foto: Alê
Foto: Alê

"A civilização é um bem invisível porque inscreve seu nome nas coisas",


E suas últimas palavras antes de embarcar na missão final e fatal: "Se voltar, o que será preciso dizer aos homens?"

Ele escreveria que "durante séculos e séculos a minha civilização contemplou Deus através dos homens. O homem era criado à imagem de Deus. Respeitava-se Deus no homem. Esse reflexo de Deus conferia uma dignidade inalienável ao homem", para concluir que "as relações do homem com Deus serviam de fundamento evidente aos deveres do de cada homem consigo próprio ou para com os outros".

"Havia, em algum lugar, um parque cheio de pinheiros e tílias, e uma velha casa que eu amava. Pouco importava que ela estivesse distante ou próxima, que não pudesse cercar de calor o meu corpo, nem me abrigar; reduzida apenas a um sonho, bastava que ela existisse para que a minha noite fosse cheia de sua presença. Eu não era mais um corpo de homem perdido no areal. Eu me orientava. Era o menino daquela casa, cheio da lembrança de seus perfumes, cheio da fragrância dos seus vestíbulos, cheio das vozes que a haviam animado."
(Antoine de Saint-Exupéry)

2 comentários:

Anônimo disse...

Profundo!!!

Georgia Figueiredo

Anônimo disse...

Quando penso que não há mais nada a dizer...
Você surpreende!
Parece que é intuida a encontrar as palavras certas nos momentos mais difíceis.
Entendi perfeitamente a comparação do texto de Saint Exupere com a pauta: Lagoa da Chácara. Concordo plenamente com sua comparação.
Beijo,

Thaís Guimarães
Estudante de Administração Pública (Espero poder fazer a diferença)